Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2007

Três casas em banda

Este conjunto habitacional ocupa a frente de um lote numa avenida de perfil largo e de pendente suave, em direcção ao mar.
O volume, de planta rectangular, organiza em banda as habitações de um só piso com cobertura de duas águas. Ao volume maior que se desenvolve o programa da habitação são justapostos outros menores e paralelipipédicos aos quais correspondem as entradas.
O acesso às residências faz-se individualmente atravessando um espaço ajardinado que medeia o espaço público do privado. Há referências formais a experiências feitas por Leslie Martin em Cambridge no tratamento dado ao tijolo maciço.
Projecto do arquitecto José Pulido Valente.
Link para Google Maps

Duas moradias

As duas primeiras fotografias são da Casa Pratinha de Araújo.Esta casa estava integrada num conjunto mais vasto de uma casa senhorial urbana funcionando este edifício como a casa de hóspedes. O projecto de reabilitação desenvolvido pelo Arquitecto José Quintão passa pela reinterpretação de todo um legado clássico que aqui se renova para um habitar contemporãneo. O volume da casa autonomiza-se das construções que lhe ficam entorno e o acesso faz-se axialmente. O espaço desenvolve-se verticalmente pelas escadas sendo o corte determinante para a compreensão e projecto da casa. À fachada sul é justaposto um no corpo que vem completar o programa já existente.Link para Google Maps
A terceira e quarta fotografia são da casa MirandaEsta casa ocupa quase a totalidade da área disponível: um terreno de planta trapezoidal e de inclinação acentuada no sentido nascente- poente. Rica volumetricamente, combinando volumes paralelipipédicos, palas inclinadas paralelas à inclinação do terreno, contornos …

Biblioteca Municipal (2000)

Noto um excesso de área relvada por baixo do corpo suspenso. Este espaço de planta quadrangular pretende ser uno, à imagem de um claustro, auto-referenciado e estável mas, ao mesmo tempo, estar em contacto com a cidade e com o rio. É impar por isso. A invasão do relvado até metade do páteo quebra a sua unidade. Confunde e a ideia perde-se. O passadiço em madeira é também de muito mau gosto. Mas estou em crer que ainda se vai a tempo de evitar estragar tudo no fim da obra... Projecto do Arquitecto Álvaro Siza. Link para Google Maps

Edifício "Boa-vontade" (1983)

Este pequeno edifício ocupa um lote estreito numa rua central, todavia desqualificada pela presença da rampa de acesso a um parque de estacionamento subterrâneo. O desenho da fachada é requintado. Compondo-se por três faixas verticais, ficando na central concentradas as fenestrações: duas janelas , um rasgo vertical que acompanha a escada e uma pequena fresta horizontal no terceiro piso e que enquadra o conjunto numa moldura rectangular virtual.A entrada faz-se por um espaço aberto à rua do qual se acede lateralmente quer a um estabelecimento comercial quer ao patamar de pé direito triplo da caixa de escada. Projecto do Arquitecto João Álvaro Rocha. Link para Google Maps